Le inflation in le Brasil genera problemas plus pesante de superviventia pro le population povre del pais.

(Languages of this post: Interlingua, Portuguese, English)

Le augmento del nutrimentos durante 2010 causava que le inflation in le Brasil arrivava a su nivello le plus alte in sex annos, ma il esseva inter le povres que le augmento general del precios esseva particularmente evidente.

Le brasilianos qui recipe de un a sex vices le salario minime debeva confrontar un taxa de inflation de 6,47% in le anno passate, durante que le indice official, compilate desde le perspectivo de 40 vices le salario minime, esseva 5,19%.

Le povres debe expender un percentage plus grande de lor renta total in necessitates basic como le alimentation, e items que le brasilianos mangia habeva un augmento significante in 2010. Le fabas, pro exemplo, esseva 60% plus alte, durante que le precio de carne augmentava per 30%.

Nutrimentos plus car tende a haber un effecto etiam plus cruel inter le plus povres, qui dedica un parte plus grande de lor renta a iste tipo de compra.

“Le classes plus basse expende 40% lor su renta in nutrimentos, durante que le plus ricos expende solmente 10%”, dice le economista Salomão Quadros, del Fundation Getúlio Vargas en Rio de Janeiro.

Mesmo si le Brasil se trova inter le major productores de nutrimentos del mundo, le pais non es immune al augmento del precios alimentar in omne le mundo, que attingeva un nivello record in decembre, secundo le Nationes Unite.

“Quando le precios augmenta in le mercato international, le productores brasilian gania plus exportante plus alimentos, specialmente carne”, dice le economista Cornélia Nogueira, del Departamento de Statistica e Studios Socioeconomic. “A causa de ille exportationes, le brasilianos ha minus alimentos disponibile in lor mercato interne.”

Un strategia pro combtatter le inflation es comprar substitutos. Ma quando le brasilianos comencia a comprar pullo in vice de carne bovin, diceva le economista, immediatemente le stock de pullo deveni minus abundante, causante un augmento de precio de iste tipo de carne.

Mesmo si le effectos del inflation non ha essite tan mal como illos poterea haber essite a causa del expansion general del economia brasilian, le povres non beneficia con iste expansion tanto como le ricos, qui ha renda excedente pro investimentos que non es disponibile pro le povres a causa de lor falta de renta disponibile. E in despecto del augmento general del nivello de prosperitate in le Brasil, pro multe personas povre in le pais, le superviventia es un lucta difficile.

A inflação no Brasil gera problemas mais pesados de sobrevivência para a população pobre do país.

A alta dos alimentos ao longo de 2010 fez a inflação no Brasil chegar ao seu maior patamar em seis anos, mas foi entre os mais pobres que o aumento geral de preços foi particularmente evidente.

Os brasileiros que recebem de um a seis salários mínimos tiveram de enfrentar uma inflação de 6,47% no ano passado, enquanto o índice oficial, compilado a partir da perspectiva de 40 salários mínimos, ficou em 5,91%.

Os pobres têm que gastar uma maior percentagem do seu rendimento total em necessidades básicas como a alimentação, e itens que os brasileiros comem tiveram uma alta significativa em 2010. O feijão, por exemplo, ficou até 60% mais caro, enquanto o preço da carne subiu 30%.

Alimentos mais caros costumam ter um efeito ainda mais cruel entre os mais pobres, que dedicam uma maior parcela de sua renda a este tipo de compra.

“As classes mais baixas gastam 40% de sua renda em comida, enquanto os mais ricos gastam apenas 10%”, diz o economista Salomão Quadros, da Fundação Getúlio Vargas no Rio de Janeiro.

Embora o Brasil está entre os maiores produtores de alimentos do mundo, o país não está imune ao aumento dos preços alimentares em todo o mundo, que atingiram um nível recorde em dezembro, segundo as Nações Unidas.

“Quando os preços sobem no mercado internacional, os produtores brasileiros ganham mais exportando mais alimentos, especialmente carne”, diz o economista Cornélia Nogueira, do Departamento de Estatística e Estudos Socioeconômicos “Devido a essas exportações, os brasileiros têm menos alimentos disponíveis no seu mercado interno.”

Uma estratégia para combater a inflação é comprar substitutos. Mas quando os brasileiros começarem a comprar frango em vez de carne bovina, disse o economista, em seguida, a oferta de frango se torna mais escasso, causando um aumento do preço deste tipo de carne.

Mesmo se os efeitos da inflação não foram tão ruins quanto poderiam ter sido por causa da expansão geral da economia brasileira, os pobres não se beneficiam com esta expansão tanto quanto os ricos, que têm renda excedente para investimentos que não estão disponíveis para os pobres por causa de sua falta de rendimento disponível. E apesar do aumento geral do nível de prosperidade no Brasil, para muitas pessoas pobres no país, a sobrevivência é uma luta difícil.

Inflation in Brazil creates heavier problems of survival for the country’s poor.

The rise of food costs during 2010 in Brazil has caused inflation to reach its highest level in six years, but it was among the poorest that the general price increase was especially evident.

The Brazilians who receive one to six times the minimum wage had to face an inflation rate of 6.47% last year, while the official index, compiled from the perspective of forty times the minimum wage, was 5.91%.

The poor have to spend a greater percentage of their total income on basic necessities such as food, and important items that Brazilians eat had a significant increase in 2010. Beans, for example, were 60% higher, while the price of meat rose by 30%.

More expensive foods tend to have an even more cruel effect on the poorest people, who devote a greater portion of their income to this kind of purchase.

“The lower classes spend 40% of their income on food, while richer people spend only 10%,” says the economist Solomon Quadros, of the Getulio Vargas Foundation in Rio de Janeiro.

Even though Brazil is among the largest food producers in the world, the country has not been immune to the rise in world food prices, which reached a record level in December, according to the United Nations.

“When prices rise on the international market, Brazilian producers earn more by exporting more food, especially meat,” says the economist Cornelia Nogueira, of the Department of Statistics and Socioeconomic Studies. “Because of these exports, Brazilians have less food available on their domestic market.”

One strategy to fight inflation is to buy substitutes. But when Brazilians start to buy chicken instead of beef, the economist said, then the supply of chicken becomes scarcer, causing a rise in the price of this kind of meat.

Even if the effects of inflation have not been as bad as they could have been because of general expansion in the Brazilian economy, the poor do not benefit from this expansion as much as the rich, who have surplus income for investments that are not available to the poor because of their lack of disposable income. And despite the general rise in the level of prosperity in Brazil, for many poor people in that country survival is a difficult fight.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: